sexta-feira, 21 de maio de 2010

DIÁRIO INCONTÍNUO

Elmar Carvalho


21 de maio

A CHARGE DO GERVÁSIO

Recebi e-mail do amigo Gervásio Castro, em que ele me manda, em anexo, uma belíssima charge. O texto do bilhete eletrônico diz: “No desenho uma tentativa de retratar meu amigo Elmar, flamenguista, blogueiro, juiz, poeta e, acima de tudo, um ser humano de primeira linha. Desses que enchem de orgulho o Criador”. Sobre a mensagem, embora desvanecido em tê-la recebido, tenho a dizer que de fato sou torcedor do glorioso Flamengo, sou blogueiro, magistrado e literato, mas estou longe, e não se trata de falsa modéstia, de pertencer à primeira linha da raça humana, em que a generosidade do Gervásio me colocou. Apenas, seguindo as lições e orientações da maçonaria, venho lutando para desbastar e polir a pedra bruta que sou eu mesmo. Mas considero as palavras amigas como um incentivo para continuar perseverando nessa difícil escalada. A charge enviada é mais uma demonstração da genialidade do Gervásio nessa seara da arte plástica. Não se trata de uma tentativa, mas realmente me retrata, com invulgar propriedade e talento, nas quatro situações referidas. Quando o livrinho PoeMitos da Parnaíba, cujas charges ilustrativas são de sua autoria, foi lançado, o poeta Alcenor Candeira Filho, na apresentação do opúsculo, observou que o amigo chargista tem o hábito antigo de se vestir de negro, o que poderia revelar uma personalidade sorumbática, melancólica, mas que é um saudável boêmio, com senso de humor, e tranquilo, sem nenhum tipo de pessimismo e negativismo. Apesar da indefectível roupa escura, o artista gosta de injetar em suas charges muitas cores, belas, vivas e harmônicas, perpassadas por desenhos curvilíneos, que muitas vezes lhe servem de fundo ou moldura. Quando aceitou, para honra minha, fazer as ilustrações dos poemas, achei que ele poderia ter grandes dificuldades, pois as informações sobre os retratados eram muito escassas, e nem sempre há um feliz casamento entre ilustrações e poemas, como também entre músicas e composições poéticas. Como autor, posso dizer que ele se houve bem demais, e reproduziu os “mitos” e o espírito dos poemas fielmente, com beleza e emoção, expressando a história e o seu cenário. Mesmo nos poemas mais satíricos e que poderiam ser considerados “impiedosos”, Gervásio Castro, através da inventividade, dos traços e das cores, encontrou maneira de lhes delinear de forma menos crua, menos rude e mais sutil, a mitigar o que eles poderiam ter de mais pejorativo e escatológico. Vou emoldurar a charge e, como uma homenagem ao chargista e à sua grande arte, vou entronizá-la em meu local de trabalho.

3 comentários:

  1. Amei a charge. Quem já leu "A rosa dos ventos gerais" sabe que Elmar Carvalho é um dos maiores poetas do Brasil. Rita de Cássia Amorim Andrade.

    ResponderExcluir
  2. Não concordo quando o Elmar diz que está longe de pertencer à primeira linha dos seres humanos, pois para mim ele é uma criatura digna do orgulho do cridor, além de ser um poeta genial.
    Léia Morais.

    ResponderExcluir
  3. Antonio de Souza - De Cuiabá24 de maio de 2010 18:11

    Meritíssimo,
    Eu faço minhas as palavras do chargista - que, por sinal, tem um traço elogiável. Poeta genial, você já demonstrava esse lado nos nossos tempos de ginásio; um ser humano de primeira linha, idem; flamenguista é outra grande virtude; magistrado, reafirmo o que dissera anteriormente: a Magistratura do Piauí se tornou mais rica com o dr. Elmar Carvalho.
    E, quanto ao fato de ser tornar blogueiro, sem dúvida, é uma grata novidade e mais uma demonstração de sua versatilidade.
    Grande abraço, meu amigo. Qualquer hora dessa, vou solicitar uma audiência ao nobre juiz para a gente relembrar os bons tempos em que esse modesto jornalista e o grande magistrado eram colegas no glorioso Colégio Estadual de Campo Maior, às margens do Açude Grande.
    Antonio de Souza, Cuiabá-MT

    ResponderExcluir