terça-feira, 19 de outubro de 2010

DIÁRIO INCONTÍNUO

Elmar Carvalho e a juíza e acadêmica Regina Coeli Freitas

19 de outubro

POSSE ACADÊMICA

Elmar Carvalho

Neste domingo, tomei posse da cadeira nº 39 da Academia de Ciências, Artes e Letras de Piripiri – ACALPI. A solenidade aconteceu no prédio da Câmara Municipal. O auditório estava lotado. Foi uma bela festa literária, a que não faltaram, sequer, música e farto coquetel. Vários acadêmicos estavam presentes, alguns vindos de Teresina, como foi o caso do maestro e professor Vagner Ribeiro, e de outras cidades. Vários descendentes e parentes do padre Freitas, de Baurélio Mangabeira, de Osíris Neves de Melo e de Raimundo de Freitas e Silva marcaram presença, assim como outras pessoas interessadas em cultura e literatura, entre as quais Brito Júnior, chefe do Poder Legislativo local. De Campo Maior veio uma comitiva, representando meus conterrâneos, composta por João Alves Filho, presidente da Academia Campomaiorense de Artes e Letras, pelos acadêmicos Cardosinho e Corinto Filho, e pelo professor e músico José Francisco Marques. A solenidade foi presidida pelo jornalista, poeta e escritor Willekens Van Dorth; o cerimonial esteve sob o comando do acadêmico e juiz de Direito João Bandeira do Monte Filho, que foi o responsável pelo discurso de recepção ao artista plástico Luís de Assis Silva, que tomava posse da cadeira nº 22, patroneada por Tomás de Sousa Menezes. Na oportunidade, foi homenageada a banda Os Dragões, de bela e longa trajetória musical, com a Comenda do Mérito Data Botica, pelos relevantes serviços prestados às artes e cultura.

A minha cadeira tem como patrono o poeta Raimundo de Freitas, sob o qual discorri em meu discurso. Era ele casado com Francisca Melo Freitas, irmã de meu avô materno. Falei, brevemente, sobre alguns de meus parentes e ancestrais, uma vez que só pude ser candidato porque minha avó paterna nasceu em Piripiri. Falei dos pontos aprazíveis e pitorescos da cidade, bem como de muitos de seus poetas, escritores, artistas e magistrados. Meu pai, que morou por pouco tempo na cidade, quando trabalhou numa filial da então poderosa Casa Inglesa, em sua juventude, estava presente e se emocionou a valer. Explanei que estive em Piripiri em várias oportunidades, inclusive na minha meninice, quando cheguei a bordo de um trem, puxado por uma locomotiva a diesel, e na minha adolescência, quando disputei uma partida de futebol, atuando como goleiro, cujo resultado já não recordo; mas também participei de muitos eventos literários, em minha maturidade, várias vezes a convite da professora e escritora Clea Rezende Neves de Melo, que abrilhantou a solenidade com a sua presença. Quando falei do célebre padre Domingos de Freitas e Silva, expliquei que o enaltecimento de um homem, através de suas palavras, pode ser um ludíbrio, em que a estátua pode ficar bem maior que o modelo, mas que os seus atos e ações mostram a verdadeira essência de seu caráter, e citei quatro episódios e atitudes pelos quais esse sacerdote pode e deve ser considerado o pró-homem por excelência de Piripiri. Eleito por unanimidade, agradeci os confrades por tão belo e nobre gesto de compreensão e apreço. Fui recebido pela juíza de Direito e acadêmica Regina Coeli Freitas, que proferiu um excelente e emocionante discurso, entremeado de versos de minha autoria, que me comoveu e me afagou a alma.

7 comentários:

  1. Caro Elmar, esse lugar estava escrito nas estrelas, seu trabalho literário merece esse e tantos outros reconhecimentos desta honraria a que você faz jus.

    Um abraço.


    Estavam dois velhos sentados em uma Praça na cidade de Piripiri-Pi, por coincidência os seus olhares se cruzaram, ficaram alguns segundos olhando-se.
    Até que que um deles se levantou e dirigiu-se ao outro, deu-lhe um beijo na testa e fez-lhe a seguinte pergunta:

    Lembras o que significa isto?
    Sim! A eterna amizade, amigo.

    (Irapoã Carsil)

    ResponderExcluir
  2. Joserita Melo Carvalho20 de outubro de 2010 20:29

    Parabens padrinho Elmar por mais esta conquista! Sempre te admirei meu irmão por tua inteligencia, dedicação aos estudos e etc...etc, e sempre tbm te mostrei p/ minhas filhas como uma referencia a seguir.
    Ao ler este artigo tbm fiquei curiosa com relação a nossa ascendencia, pois eu nem sabia que a nossa avó paterna tinha nascido em Piripiri.
    bjos

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Elmar por mais essa conquista e que seja uma de muitas outras que com certeza ainda virão.Um grande abraço Léia Morais.

    ResponderExcluir
  4. Joserita, brevemente irei postar o meu discurso de posse, de modo que vc lerá uma breve notícia familiar, apesar de que numa das matérias antigas já tratei desse assunto, ao falar do nosso pai.

    ResponderExcluir
  5. Joserita Melo Carvalho21 de outubro de 2010 11:57

    Ah tá bom então...ficarei aqui na expectativa de ler o discurso, e quanto a matéria anterior sobre nosso pai, depois irei procurar com calma, se tu souber qual foi o mes que foi publicada, me fala, pois fica mais fácil p/ procurar.
    bjos

    ResponderExcluir
  6. Também quero deixar aqui registradas a minha admiração e congratulações. Esta honraria a qual o texto se refere só reafirma a visão que tenho da sua pessoa. Mas, independente de qualquer nova conquista, para mim, sem dúvida, o senhor é um grande escritor e exemplo de homem.

    Parabéns pelas conquistas, mas acima de tudo, parabéns pela jóia que se tornou depois que o tempo se encarregou de lapidá-lo.

    ResponderExcluir
  7. Meus caros Nelson e Joserita,
    Obrigado pelas palavras de incentivo. Não as mereço integralmente.
    O link da matéria sobre meus pais é o seguinte:
    http://poetaelmar.blogspot.com/2010_03_01_archive.html

    ResponderExcluir