segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Texto enxuto e apetitoso



José Maria Vasconcelos
Cronista, josemaria001@hotmail.com


Comida abundantemente condimentada e associada a misturas provoca azia e má digestão. A comidinha caseira, frugal, porém, é inesquecível, atravessa gerações, dá saudade da vovó. Os dois extremos também acontecem na produção de um texto. Em época de disputas nos concursos e mercado de trabalho, exige-se árduo esforço na técnica da redação, que não se improvisa nem se aprende de repente. Tem de ralar, dedicar-se à leitura, observar e imitar bons produtores de texto. Em Machado de Assis e Arimateia Tito Filho absorvi lições da frase curta, enxuta, fotográfica e frugal como a comidinha da vovó.

Frases longas, tortuosas e abuso de conectivos atormentam um leitor, às vezes, obrigado a digerir um texto. Por prazer, nenhum outro arriscaria ler um período que começa no centro de Teresina e termina na entrada de Altos. Intelectuais, em geral, empanzinados de academicismos, arrotam gorduras barrocas, citações filosóficas intestinais, cujo efeito bota para correr quem está por perto.

No magistério, costumava ler as redações dos estudantes, diante deles, com amargo humor. Escolhia os textos mais indigestos, sem pontuação, longos como trilhos do metrô. Lia direto, sem respirar, por falta de pontuação, até esfolar o pulmão. Eu teatralizava, mostrava-me exausto, desfalecia. Gargalhada geral. Ninguém sabia a identidade da vítima. Hoje, eles me encontram e agradecem as sagradas porradas. Ainda bem que não se falava em bullyng e constrangimento, nem professor apanhava.

Uma clássica lição para escrever corretamente: montar frases curtas, diretas, como esta:"Roberto ofereceu ajuda a um velhinho." Repare que a ordem está perfeita: Roberto(sujeito) ofereceu(verbo) ajuda a um velhinho(dois completos do verbo). Aparecem somente termos essenciais, não exigem vírgula. Virgulação só quando elementos essenciais da oração(sujeito, verbo e complementos do verbo) são entrecortados, regra geral, por um ADJUNTO ADVERBIAL, VOCATIVO ou APOSTO. Observe o mesmo exemplo, agora modificado por esses elementos: "Roberto, filho do professor José Maria, ofereceu, com espírito cristão, ajuda a um velhinho, na travessia da faixa do trânsito." Roberto(sujeito), filho do professor José Maria,(aposto) ofereceu,(verbo) com espírito cristão,(adjunto adverbial) ajuda a um velhinho,(complementos verbais) na travessia da faixa do trânsito(adj. adverbial). Esticando o período, enfeia a compreensão: "Roberto, filho do professor José Maria, ofereceu, com espírito cristão, ajuda a um velhinho, na travessia da faixa de trânsito, quando foi abordado por um assaltante, e, de repente, apareceu a polícia." A panela ferveu demais, pode queimar, usando período longo, conectado por conjunções e pronomes relativos.

Uma simples distração agride a correção gramatical. Na crônica passada, "Não me toques, Madalena!", fui alvo da palmatória: "Maria Madalena e outras mulheres assistiu o Mestre até o Calvário." Pecado mortal servir o Mestre dessa maneira. Eu queria destacar a personagem Madalena, fechando com parênteses os termos "e outras mulheres": "Maria Madalena(e outras mulheres) assistiu..." Agora, sim, dá para assistir, sem escorregar na concordância. Aí me vem saudade da sala de aula, apesar das repugnantes e insossas redações.

Um comentário:

  1. Joserita Maria de Melo Carvalho4 de fevereiro de 2013 22:47

    Igual a comidinha da vovó que a gente come todinha, esse texto apetitoso a gente lê todinho e ainda aprende a lição: montar frases curtas e diretas.

    ResponderExcluir