sexta-feira, 25 de setembro de 2015

PADRE MIGUEL DE CARVALHO E SUA ASCENDÊNCIA


PADRE MIGUEL DE CARVALHO E SUA ASCENDÊNCIA

Valdemir de Castro Miranda
Historiador, genealogista e escritor

Descoberto documento na Torre do Tombo, que menciona a origem e ascendência do primeiro cronista da terra piauiense, Padre Miguel de Carvalho, em processo da Santa Inquisição de Lisboa de acusação de usurpação de funções.

MIGUEL DE CARVALHO, ou Miguel do Couto por erro de tradução da abreviatura do sobrenome Carvalho, ou local de sua origem, de fato se chamava, MIGUEL DE CARVALHO E ALMEIDA, n. em Portugal em 1634, natural do Conselho de Ribeira de Pena, arcebispado de Braga e f. provavelmente em Lisboa. Sacerdote do hábito de São Pedro, vigário da Vara e cura da freguesia de Rodelas no Sertão de Rio de São Francisco, bispado de Pernambuco. Irmão do Pe. Inocêncio Carvalho de Almeida, do Pe. Thomé de Carvalho e Silva, dos militares Manoel e Antônio Carvalho de Almeida, Domingos Carvalho de Almeida e Mariana de Almeida, esta última casada com João de Miranda, pais do Cel. José de Miranda. Filhos de Miguel de Carvalho e Almeida e Helena Gonçalves de Matos (PORTUGAL – ARQUIVO DA TORRE DO TOMBO - PT/TT/TSO-IL/028/10016).

 Como vigário da Vara da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Cabrobó de Olinda em Pernambuco e Padre Visitador fez sua primeira incursão ao território piauiense em 1694 na companhia do Pe. Felipe Bourel, da Companhia de Jesus (CARVALHO, 2009, p. 44).  Escreveu o primeiro documento sobre o Piauí, “Descrição do Sertão do Piauí”, em 1696.

A mando do bispo diocesano da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Cabrobó, Bispado de Pernambuco, Dom Francisco de Lima, Miguel de Carvalho, adentrou nos sertões de Rodelas, região imensa, quase desconhecida (CHAVES, 1998 p. 418). Da primeira viagem que fez, sugeriu ao bispo a criação de duas novas freguesias no território. Sugestão esta dirigida a Roque Monteiro Paim, Secretário do Conselho Ultramarino, pelo bispo Dom Francisco de Lima, para a criação da Freguesia de São Francisco, no sertão de Rodelas, e a de Nossa Senhora da Vitória, no sertão do Piaguí. Autorizada a criação das duas novas freguesias, o Bispo delegou poderes ao Pe. Miguel de Carvalho, para sua instalação.

Para cumprir sua missão, fez ele penosa e perigosa viagem percorrendo todas as fazendas existentes, no sertão do Piauí, na companhia de seus irmãos, os Padres Tomé de Carvalho e Silva e Inocêncio Carvalho de Almeida, resguardo por seu tio Sargento Bernardo de Carvalho e Aguiar, que originou o primeiro documento histórico sobre o Piauí. E provavelmente outro relatório sobre o território dos Rodelas, para a instalação da Freguesia de São Francisco da Barra do Rio Grande, hoje cidade da Bahia.

O relatório dos sertões do Piaguí, conhecido como “Descrição do Sertão do Piauí” foi para o Conselho Ultramarino, resgatado por Ernesto Ennes em 1938 no seu trabalho A Guerra dos Palmares, doc. 65, p. 370-384. (PORTUGAL – AHU – Piauí, cx. 1, doc. 2, 3, 4 – AHU_CU_O16, Cx. 1 D 2; anexos 08 documentos). Nela o Padre enumerou 129 fazendas, com 605 cristãos, dos quais 164 moravam num arraial denominado “dos Paulistas”, bem como 36 tribos de tapuias bravios. As fazendas eram habitadas por 153 posseiros, ligados aos sesmeiros da Casa da Torres, todas as terras pertenciam a Domingos Afonso Mafrense e a Leonor Pereira Marinho. Sendo que nenhum posseiro era dono da terra, mas arrendatário que pagava aos proprietários 10 réis de foro por sítio (CARVALHO, 2009, p. 22)

Aos 33 anos, em 1699, foi acusado de crime de usurpação de funções, pelo Tribunal do Santo Ofício da Inquisição de Lisboa (proc. 10016), por prender em nome da Inquisição o padre Isidoro de Castro e abandonar seu posto, como vigário do Curato dos Rodelas, sertão de São Francisco do Bispado de Pernambuco, indo para a corte, sendo como réu advertido em Mesa a 11.02.1699.    

2 comentários:

  1. Essa é uma maravilhosa descoberta do erudito e incansável pesquisador Valdemir Miranda de Castro. A história do Piauí deve ser grata ao professor Valdemir. A pesquisa de documentação bruta. Tiro o chapéu para cumprimenta-lo!

    ResponderExcluir
  2. Poeta onde encontrar este livro de Padre Miguel Carvalho Couto? Preciso deste livro por favor.

    Adão de Sousa Lina, Embu das Artes, SP.

    ResponderExcluir