domingo, 22 de novembro de 2015

Seleta Piauiense - Antônio Chaves


YAYÁ PEARCE

Antônio Chaves (1883 – 1938)

Eras a minha fé soberba, indefinida,
Eras a minha crença, ó lírio imaculado,
Tu, que trazias n’ alma inocente e querida
A ária do nosso amor e do nosso noivado.

Eras a fonte ideal do estímulo sagrado
Que me conduzia à Terra Prometida...
Eras minha ilusão, meu sonho alcandorado,
O sol que iluminava o céu de minha vida.

Mas quis Deus apagar o fulgor dos teus olhos,
Quis ele que afinal fanasses, como a rosa,
Deixando-me sozinho a tatear sobre escolhos...

E, assim, caiu por sobre a minha mocidade
A ampla noite sem luz, profunda, tormentosa,
Da tristeza e da Dor, da Mágoa e da Saudade.

Um comentário:

  1. Grande Antonio Chaves!
    Bonito soneto
    Um abraço Itamar

    ResponderExcluir