terça-feira, 19 de julho de 2016

Sugestões para o município de Campo Maior



Recebi o e-mail circular abaixo, da lavra do historiador e escritor João Alves Filho, presidente da Academia Campomaiorense de Artes e Letras – ACALE:

"Saudações culturais.

                       Com muito prazer comunico, o resultado da nossa reunião de ontem, oportunidade em que discutimos em reunião na Sala da nossa ACALE, com a presença do Dr. Hilson Spindola Silva, (Presidente da OAB - grande região de Campo Maior), OS PROJETOS LEIS QUE SERÃO ENCAMINHADOS Á CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES, para apreciação, discussão e votação, cujo conteúdo OFICIALIZA O PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL, MATERIAL E IMATERIAL DE CAMPO MAIOR E O PROJETO LEI QUE CRIA O CONSELHO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL DE CAMPO MAIOR.

                        Os colegas acadêmicos todos sabem da nossa preocupação pela preservação dos nossos valores históricos patrimoniais e culturais, evitando assim, que o nosso PATRIMÔNIO, de imenso valor, seja depredado ou agredido, como vem acontecendo nos últimos anos. É muito triste vê-se UMA RESIDÊNCIA HISTÓRICA, UMA FAZENDA, O NOSSO AÇUDE, O MONUMENTO DO JENIPAPO, entre outros, serem tratados com desprezo e sem nenhuma preocupação dos gestores públicos.

                        QUALQUER MUNICÍPIO QUE NÃO CUIDA DOS SEUS VALORES CULTURAIS, CAIRÁ RAPIDAMENTE NO ESQUECIMENTO E NADA, OS SEUS MUNÍCIPES, SABERÃO DOS SEUS VALORES HISTÓRICOS. O PROJETO LEI EM DISCUSSÃO, QUE SERÁ APRECIADO PELA DOUTA CÂMARA MUNICIPAL, DARÁ UM PONTO FINAL NESSE TERRÍVEL DESCASO EM CAMPO MAIOR.

                        A reunião de ontem foi bastante discutida. Ajudem-nos, mandando suas sugestões. Peço a presença de todos, para acompanharem a tramitação do PROJETO LEI, na Câmara Municipal. O PROJETO será protocolado nos primeiros dias de agosto próximo.

                             Fraternalmente

                             João Alves Filho (Presidente Acale)"

Imediatamente lhe enviei a seguinte resposta:

Caro Irmão João Alves Filho,

Sugiro a inclusão do Parque Ambiental da Serra Azul de Campo Maior, aperfeiçoando o que eu disse nas páginas - Duas palavras - de meu livro Bernardo de Carvalho, o fundador de Bitorocara, porque além dos aspectos de proteção ambiental, esporte, turismo, lazer, cultura, também haveria o aspecto econômico, se fossem criados os espaços e equipamentos que indico no meu pequeno texto. Também poderia ser incluída a criação do Parque Ambiental Horto Florestal da Barragem do Surubim, com a construção dos mesmos equipamentos e espaços que indiquei para o parque da serra (com exceção do teleférico).

Você é um gigante, e saberá aperfeiçoar essas minhas duas sugestões.

Abraço,

Elmar Carvalho

No meu livro, acima referido, apresentei várias sugestões sobre o patrimônio natural, histórico e arquitetônico de Campo Maior, sendo que nas páginas 15 e 16, apresentei a seguinte:

“(...) a nossa pequenina e encantada Serra Azul ou Serra de Santo Antônio, que tanto tenho cantado e exaltado, deveria ser transformada em parque de preservação ambiental, e mais bem aproveitada no turismo ecológico e na prática de esportes radicais (como arborismo, arvorismo e rapel), com a instalação de tirolesas, teleférico, balneário (piscina e bicas), trilhas, pontos de apoio (bares, cabanas e restaurantes), além de outros equipamentos, que possam atrair turistas. Desse modo, além do lazer, do esporte e da cultura, estariam sendo criadas novas atividades econômicas e oportunidades de emprego.”



Essas sugestões, repito, de capital importância para o município de Campo Maior, bem poderiam ser acolhidas pelo Poder Público Municipal, Estadual e Federal, seja em parceria ou não. Cabe ao município apresentar projeto aos setores competentes dos governos estadual e federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário