segunda-feira, 12 de março de 2012

JOSÉLIA


JOSÉLIA

Elmar Carvalho

(Em lembrança de minha irmã falecida aos
15 anos de idade, em 02 de julho de 1978.)

Fui pisado
pela terra.
Fui pisado
pela terra,
eu que sempre
procurei pisar
nas nuvens e
no céu.

                                 Sem dormir sonhei,
                                 mas o sonho acabou
                                 antes de haver começado.
                                 (Ainda bem, porque
                                 o sonho era mau.)

Sonhei que minha
irmã morrera,
mas ela não morreu.
Era tão cheia de vida
que continua viva
na lembrança dos
que ficaram.
Ela continua viva
porque houve apenas
uma metamorfose
existencial.

                                 Seu sorriso
                                 seu (e)terno sorriso
                                 sem precisar da
                                 matéria para
                                 ser desfraldado
                                 continua estampado
                                 em seu rosto
                                 imaterial.

Josélia tinha
a pureza dos inocentes
a inocente malícia dos felizes
e a beleza
dos que não são
deste mundo cão.
Por isso foi
para o céu de
onde (vi)era.

Um comentário:

  1. Joserita Melo Carvalho14 de março de 2012 17:29

    ♥ Josélia ♥

    ♥ "Era tão cheia de vida
    que continua viva
    na lembrança dos
    que ficaram." ♥

    Acho lindo d+ esse poema que tu fez p/ ela.

    ResponderExcluir