terça-feira, 18 de abril de 2017

O Urubu e o Sapo


O Urubu e o Sapo

Valério Chaves
Desembargador inativo

          Certo dia os animais da floresta amanheceram em grande euforia.
         O sapo que saia à procura de insetos para comer, perguntou ao urubu o motivo de tanta alegria.
         - Ah! você ainda não sabe?
         - Pois fique sabendo que hoje vai ter uma grande festa no céu oferecida a todos os animais da terra – respondeu o urubu enquanto se arrumava para voar rumo ao céu.
         - Neste caso, vou me arrumar também para ir junto com você – disse o sapo com ar de animação.
         O urubu olhou indiferente para o sapo, e disse-lhe em tom comovido:
         - Sinto muito amigo sapo, você não pode ir comigo.      
         - Mas por que não? - quis saber o sapo. Afinal de contas sou bicho igual aos outros.
         -Tenho todo direito de me divertir como qualquer um. Ou não tenho? - perguntou, demonstrando aborrecimento.
         O urubu, vaidoso e com olhar de desprezo, respondeu:
         - Amigo sapo, as coisas nem sempre são do jeito que a gente deseja.
         - Vejo que você tem a boca muito grande, e pelo que estou sabendo quem tem boca grande não entra na festa do céu. Só entra quem tem boca pequena.
         O sapo deu um salto, encheu os pulmões, ajustou a boca o máximo que pôde, e falou indignado:
         -Isso é uma injustiça. Oh  injustiça!  Oh   injustiça...!!!

         Moral da história:
         As virtudes não estão nas aparências, mas no que somos e no que fazemos.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário