domingo, 22 de janeiro de 2012

DEPOIMENTO DO DR. ITAMAR ABREU COSTA

O médico e intelectual Itamar Abreu Costa, em seu consultório no Ita'cor


Gregório de Moraes, Olavo Pereira da Silva Filho, Elmar Carvalho, Itamar Abreu Costa, Pedro Costa e José Fortes Filho (sentado) 
Dia 7 de dezembro de 2011, estou completando 34 anos de formado em Medicina.
A Turma de 1977 da Faculdade de Medicina da UFPa, ao comemorar mais um Aniversário, não devem deixar de pensar na situação caótica da assistência médica no nosso país.
Governos entram e governos saem e quase nada muda. Filas e mais filas, escândalos, desvio dos recursos destinados à asssistência Médica.
O Brasil é um país continental e é quase impossível de ser administrado, principalmente enquanto estiver sendo dado oportunidade de rapôsas(pessoas desornestas), tomarem de conta do galinheiro(dos recursos destinados à assistência à saúde).
Espero que alguma coisa possa acontecer de bom, e , que as novas gerações de médicos, deixem de assistir as cenas grotescas que assistimos nos diversos serviços médicos espalhados pelo nosso Brasil.
Formado em Medicina, já havia obtido classificação para fazer o Curso de formação de Cardiologista do Hospital da Beneficênça Portuguesa em São Paulo, no meu caso Equipe do Prof. Dr. E.J ZERBINI.
Em Janeiro de 1977, criou-se em Belém uma verdadeira escola de cardiologia(Jovens cardiologistas: Dilce Léa, Paulo Fernandes, Landry, Cláudio Moura e AARÃO SERRUYA), Angiologista(Chiquinho e Cascaes) e o grande cirurgião geral Vitor Moutinho. Alugaram o Hospital Anchieta que ficava na Avenida Governador José Malcher. Fizeram seleção para sextanista da UFPa, isto mudou uma história "a minha".
Fiquei seis (6) meses em Belém e o último semestre no Hospital Matarazzo em São Paulo, no Serviço da AngioCardiologia do Professor Quintiliano Hugo de Mesquita.
Em São Paulo, me incorporei ao Serviço do Médico Paraense com decendencia gregaTeofanis Kontatidinis(Hemodinamocista de Scoll).
O grego me orientou e me guiou, estágio no Instituto Dante Pazzanesi de cardiologia (Radiologia Professor Hortêncio de Medeiros Sobrinho e Eletrocardoigrafia Professora Maria Helena).
Em 1978, me incorporei ao serviço de Cardiologia do Hospital da Beneficênça Portuguesa em São Paulo, Equipe do Prof.Dr.E.J.Zerbini, foram 2 anos e meio de muito estudo e participação em cursos na capital Paulista, ganhei a confiança do grande "Mestre" o Pioneiro do transplante de Coração na América do Latina.
Em julho de 1980, resolvi retornar ao Piauí, já são 31 anos de dedicação aos corações dos meus irmãos do estado e visinhos, tenho plena certeza que tenho tentado fazer o melhor que posso na minha area de atuação.
Construi um grande familia e ergui um belissimo lar tendo edilane como companheira, Patricia, Ilanne, Lhoanna e agora Lana para meu coração ocupar.
Minha esposa é a grande administradora de toda a obra física e espiritual do Hospital Itacor.
Meus ´pais e sogros são e foram os meus pilares de sustentação.
Meus amigos (que não são poucos) e meus assistidos (que também não são poucos e todos amigos), os colegas Médicos que trabalham comigo e são todos cúmplices deste desenvolvimento.
À minha querida vovó JOANA ROSA( Deus está com ela desde primeiro de novembro de 2010), enquanto existiu me encheu de cheiros, cheiros e mais cheiros ,pensamentos bons e principalmente amar ao próximo.
Meus irmãos, irmã, cunhado, cunhadas, sobrinhos, sobrinhas , afilhados, compadres e comadres, tios e tias e afilhadas e colaboradores do Itacor a  certeza que serei sempre grato e presente com vocês em qualquer situação.
A meu bom Deus!, à Santa Joana Dárc, Santo Agostinho, Santo Antonio, Santa Ernestina e a Nossa Senhoara do Vaqueiro, venho pedir sempre proteção e que minha estrada seja sempre bem iluminada e segura com as suas bençãos
obrigado!!!!!

3 comentários:

  1. "Elmar, rima com Itamar,/
    Obrigado pela oportunidade/
    Que sempre estás a me dar,/
    Para esta história contar.
    II
    Nasci em Alto longá,/
    Pequeno fui para o interior morar/
    Onde assistia os caminhões/
    Com Cera, tucuns e pele para Campo Maior levar.
    III
    "No final da década de 50/
    Doentinho, me levaram para lá/
    O Doutor disse: Prá Teresina Já!
    IV
    "No Mistão do Zezé Paz/
    Me trouxeram prá cá/
    Dr Epaminondas consultar e curar"
    CAMPO MAIOR I
    CAMPO MAIOR II
    I
    "O Monsenhor Mateus,fez a história mudar/
    Quando resolveu ao povo do norte educar/
    Muitos longaenses vieram com o padre estudar/
    Valdir, Carlito,Magalhães.Eu fiquei por lá.
    II
    "O velho pastor educou com rigor/
    Hoje Doutores, juízes e promotores/
    transformou pela educação toda uma região/
    de castelo a Barras e mesmo de União.
    III
    "Flamenguista,sempre torcia por um segundo time/
    Apredi desde cedo que existia o CACO/
    Cabrina,Beroso,Ditoso,Mário-Evandro,Colo-Anduiá
    IV
    "Já formado, passei dos campomaiorrenses cuidar/
    Pingo,Andrades,Bonas,Carvalhos,MATEUS E ABEL/
    CIDADÃO,recuperar Prédios-históricos de LÁ!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Para não deixar cair
    a peteca da rima em a,
    vamos a luta continuar
    em prol dos casarões
    que ainda existem por lá.
    Avante, pois, camarada Itamar!

    ResponderExcluir
  3. Joserita Melo Carvalho23 de janeiro de 2012 19:55

    E eu aqui vou ajudar, pois achei muito lindo esse negócio de rimar em a, com o Elmar e o Itamar!!! rsrsrs

    ResponderExcluir